Notícias

Cuidados ambientais com a Avenida Carahá são redobrados


A avenida Belizário Ramos (popular Carahá) é um espaço urbano muito valorizado tanto como via de escoamento do trânsito, quanto no que diz respeito ao Meio Ambiente. Portanto, os serviços de roçadas das encostas são frequentes (a cada 20 dias), assim como as podas das árvores e o plantio de novas espécies nativas
— , secretário Euclides Mecabô
Cuidados ambientais com a Avenida Carahá são redobrados Fotos: Iran Rosa de Moraes

As podas das árvores da avenida Belizário Ramos, feitas pela Secretaria Municipal de Serviços Públicos e Meio Ambiente, tem surtido o efeito desejado: estão frondosas e ocupando menos espaço na avenida, melhorando as condições de trafegabilidade no trânsito.

A avenida Carahá é uma via de deslocamento rápido e desta forma, o campo visual para os motoristas deve estar livre. Um dos principais objetivos das podas das árvores ali existentes tem sido este.

O secretário de Meio Ambiente e Serviços Públicos, Euclides Mecabô (Tchá-Tchá), explica que além da poda regular, foi feito o corte raso de dezenas de árvores. “Foram cortadas aquelas que estavam apodrecendo ou com o enraizamento comprometido, principalmente devido a erosão do terreno da calha do rio Carahá. Outras árvores tiveram galhos podados para conter o crescimento além do ideal, em área de intensa circulação de veículos automotores. Isto por questão de segurança”, fala o secretário.

Segundo Tchá-Tchá, mais de 400 novas mudas de árvores nativas e frutíferas foram plantadas nos últimos dois anos nas encostas do rio, às margens da avenida Carahá. “Ao longo dos 7 quilômetros de extensão da avenida, são mais de 20 espécies de árvores frutíferas já plantadas: ovaia, pitanga, cereja, guabijú, ameixa cambará, araçá, etc”, enumera Tchá-Tchá.

“A avenida Belizário Ramos (popular Carahá) é um espaço urbano muito valorizado tanto como via de escoamento do trânsito, quanto no que diz respeito ao Meio Ambiente. Portanto, os serviços de roçadas das encostas são frequentes (a cada 20 dias), assim como as podas das árvores e o plantio de novas espécies nativas”, conclui.

Texto: Iran Rosa de Moraes