ACESSE O MENU DO SITE
Logo PML
Ícone Facebook Ícone Linkedin Ícone Contato
Serviços Ícone
NOTÍCIAS
MUNICÍPIO DE LAGES


Um brinde no Dom Xixo para Ernesto e Olintho  - 2022-07-22 15:41:24
Legenda: Foto: Museu Histórico Thiago de Castro (MHTC) - Acervo/Divulgação/Arte Crônicas de Sábado: Carlos Alberto Arruda Junior / Credito:
DOWNLOAD DA IMAGEM
Crônica 22/07/2022 15:41:24

Um brinde no Dom Xixo para Ernesto e Olintho

O texto a seguir contém situações fictícias, todo o resto faz parte da história da cidade


Tinha lido em O Imparcial que haveria comemorações pelo dia dos trabalhadores nos Estados Unidos, e pensei como seria isso aqui na minha terra natal, Lages. O dia primeiro de maio de 1902 amanheceu diferente, alguma coisa no ar que vinha do Sul mostrava que o inverno que batia à porta da nova igreja da Diocese iria espantar as pessoas de uma maneira que a terra dos Ramos nunca mais seria a mesma. Esses ventos vinham principalmente do Morro das Pedras.

Passei logo cedo no Delfino para aparar a barba e fixar as pontas do bigode. Portas e janelas fechadas. Lembrei que ele contava que os Mayorca caçavam a qualquer hora, defini por conta que estava no mato com algum perdigão no colo.

Atravessei o pátio dos Ramos para voltar para casa e ajeitei sozinho. Desci a rua central correndinho para pegar o café da manhã na pensão do Julinho Heidrich e a minha encomenda que o Canozzi trouxe de Porto Alegre. Uma câmara Al Vista, o modelo mais moderno em câmaras photográficas. Agora poderia aumentar os réis na gibeira. Junto do aparato, películas de 35mm bem encaixotadas, um manual em francês e um bilhete (em português) do Canozzi.

 

Lages, 30 de abril de 1902.

 

Estimado Fabrizio,

 

Esse modelo veio sozinho de navio para o Brasil. Consegui a muito custo com um marinheiro francês depois de prometer alguns favores a ele pelas casas da baixada na capital gaúcha. Sua conta está paga, não precisa se preocupar com mais nada. Parto hoje para o sul, quando voltarmos, quero aquela bela fotografia minha e da pessoa que já sabes a quem almejo.

 

Saudações,

 

           E. Canozzi.

P.s.: O Olintho deseja apenas uma fotografia com a sua mula de viagem.

 

Voltei com todo o cuidado para casa, passei pela Coronel Córdova com a cabeça baixa e abraçando o novo brinquedo com todo o zelo do mundo. Ler o manual ficou fácil. Os franceses, além de ótimos inventores, explicam tudo muito bem por meio de desenhos. Ao meio-dia fiz a primeira fotografia.

Quando a tarde chegou ao meio, notei uma correria estranha pelas ruas. Alguém passou gritando que acharam dois corpos no Morro das Pedras e que seriam do Ernesto e do Olintho.

Eu saí com câmara a tiracolo sem saber para onde ir ao certo. O Seu José Castello Branco, dono do jornal O Imparcial, me parou bem no meio da Praça do Coronel Vidal Ramos e deu-me a ordem para não ir a lugar algum, pois a polícia tinha proibido a imprensa de colher os fatos.

Às dezoito horas, os novos sinos da nova igreja tocaram, o vento aumentou e tudo o que gostaria que não fosse verdade virou notícia. Ernesto Canozzi e Olintho Centeno foram mortos, e as apostas sobre os assassinos caíam sobre os irmãos italianos, os Brocatto.

Seu Castello deu um tapinha no meu ombro, percebi a despedida. Atravessei a Coronel Córdova e vi o Chico Grego abanando o pano de louça em frente a sua choperia, a icônica Cervejaria Dom Xixo. O sinal não era para entrar e ficar à vontade, quando acontecia, era pelo motivo que o Grego queria produzir algum reclame publicitário do seu bar.

Entrei protegendo a câmara embaixo do coletinho que tinha herdado do bisa Furtado, que diziam ter vindo para cá com o Correia Pinto. Mas essa seria uma história que eu ainda iria escrever.

Num canto cativo estava o Coronel Rupp, Vidal Ramos (prefeito de Lages, que era chamado de superintendente), o coronel Caetano Costa, o Janjão Castro e o meu primo rico e promotor público, Sebastião Furtado. Quando criança, os primos chamavam o Sebastião de Sebas, agora é Doutor Furtado.

Janjão circulava a verve dos jornalistas da família Castro. Ele apontou o dedo indicador na minha direção e gritou para que eu levasse a câmara. Doutor Furtado meneou a cabeça fitando o paletó dos antepassados dos Furtado e soltou um “opa” como cumprimento, sorri amarelo.

Ainda que essa distância mesmo sendo parentes fosse notória, nunca faltou o respeito, e numa confidência coletiva, o promotor relatou que eles estavam reunidos para definir o futuro de Lages e que estavam prestes a fazer parte de uma das histórias mais importantes da cidade, o assassinato de Ernesto Canozzi e Olintho Centeno.

Centrei o foco e suspendi o porta-pólvora, enquanto os notáveis ajeitavam os chapéus - menos o Coronel Caetano-, apalpavam os bigodes e seguravam as canecas de chopp Dom Xixo.  O gringo atrás da câmara falou baixinho para fazer permuta por uma cópia da chapa, dizendo que daria uma ótima propaganda.

Fiz uma torcida mental para que luz, foco e enquadramento dessem certos, todos os Furtado eram famosos e ricos. Eu queria pelo menos uma parte da glória por registrar aquelas coisas.

Depois do estouro da pólvora e o clarão, aqueles homens importantes brindaram a si mesmos. Eu, sem bebida e guardando as coisas, lembrei que não faria as fotos do Canozzi e do Centeno vivos. Imaginei um grande copo de cerveja bem gelada e brindei a eles com os olhos encharcados de lembranças.

Texto: Fabrício Hasse Furtado

Foto: Museu Histórico Thiago de Castro (MHTC) - Acervo/Divulgação

Arte Crônicas de Sábado: Carlos Alberto Arruda Junior

Referências: Nunes, Sara. Caso Canozzi: Um Crime e Vários Sentidos e Varella, Saulo. A Tragédia do Rio Caveiras

Galeria de Fotos
DOWNLOAD
Galeria de Fotos
DOWNLOAD

DEIXE O SEU COMENTÁRIO







COMENTÁRIOS


Foto - 1658515282249.png
Quadras de basquete do complexo esportivo do Jones Minosso recebem novos aros
Foto - 1658515282249.png
Entroncamento das ruas Professor Simplício e Heitor Villa Lobos terá rótula
Foto - 1658515282249.png
Especialistas da Assistência Social são instruídos especificamente no acolhimento de pessoas fragilizadas em relação a própria vida
Foto - 1658515282249.png
Previsão de alto volume de chuva para a região coloca Defesa Civil Municipal em alerta
Foto - 1658515282249.png
Bairro Penha recebe a 38ª horta do Programa Colheita Feliz
Foto - 1658515282249.png
Limpeza no córrego no bairro Sagrado Coração de Jesus executada pela Defesa Civil previne eventuais alagamentos
Foto - 1658515282249.png
Prefeitura e Polícia Militar irão definir velocidades máximas permitidas em vias urbanas de Lages

 

AGORA FICOU MAIS FÁCIL E RÁPIDO ENCONTRAR O QUE VOCÊ PRECISA!

 
Destaque 1 Destaque 2 Destaque 3 Destaque 4


Logo PML
Prefeitura de Lages - (49) 3019-7400
Horário de atendimento: das 8h às 12h e das 14h às 18h

RAMAIS PREFEITURA +
Ícone Facebook Ícone Linkedin Ícone Contato
PREFEITURA MUNICIPAL DE LAGES 2021. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.
Logo Estúdio Sul